Economia

Marcas Nacional e BIG serão reforçadas no Rio Grande do Sul

Mais de 100 lojas da empresa no Estado passarão por um processo de renovação, somando mais de R$ 100 milhões de investimento local em 18 meses
12/09/2019 - 16h:50min - Fonte: GaúchaZH

A marca Walmart deixará de ser usada no Brasil e a empresa passará a se chamar Grupo BIG. A decisão foi comunicada no dia 12 de agosto para os funcionários da empresa. Foi tomada pelo Advent, fundo de investimentos que comprou a operação brasileira da rede norte-americana há pouco mais de um ano e que também é dono da Quero-Quero, varejista gaúcha de materiais de construção. As marcas passaram por pesquisas, que ouviram mais de 600 pessoas. 

No Rio Grande do Sul, o Walmart era dono de bandeiras como BIG e Nacional e estava no meio de um processo de transformação, que até desacelerou após a aquisição. As lojas estavam sendo reformadas e mudando para o conceito e marca usados nos Estados Unidos. Quando ocorreu a compra pelo Advent, já tinham sido transformadas sete lojas. 

Agora, as marcas BIG e Nacional voltarão com força e, provavelmente, irão se espalhar pelo país. Elas já eram do Sonae, grupo português que vendeu a operação para a rede norte-americana Walmart em 2005. 

Os hipermercados serão transformados primeiro. Já os supermercados ficarão para 2020. A holding Grupo BIG terá os hipermercados BIG e BIG Bompreço, que substituirão as três atuais: BIG, Bom Preço e Walmart. Hoje, dia 12 de setembro, foram lançados onze hipermercados no Rio Grande do Sul. No total, serão 50 na primeira fase e os demais 50 serão reformados a partir de janeiro.

Com diversas marcas até então, os supermercados passarão a ter somente duas bandeiras. Nacional fica no Sul e no Sudeste e Super Bompreço, no restante do país. A transformação dessas operações será a partir de 2020. 

"A empresa optou por suas marcas regionais, que resgatam o vínculo emocional com os consumidores. As lojas de hipermercado Walmart nas regiões Sul e Sudeste passarão a se chamar BIG, enquanto no Nordeste, todos os hipermercados serão Big Bompreço", diz comunicado enviado à coluna no meio da manhã. 

Nos próximos 12 meses, o Grupo BIG investirá mais de 1,2 bilhão de reais na modernização e ampliação de suas lojas:

"As mudanças, no entanto, vão muito além das novas bandeiras. A empresa já está realizando mudanças efetivas na operação em todo o País, com a renovação das lojas, a ampliação de 30% do sortimento e uma nova estratégia comercial e de preços. Até junho de 2020, a expectativa é concluir a reforma de 100 hipermercados", acrescenta a nota da empresa. 

A rede também tem as bandeiras Maxxi, Sam´s Club e TodoDia no Rio Grande do Sul, que serão mantidas. No Estado, além da mudança nas bandeiras das lojas, o Walmart fechou mais de dez unidades nos últimos anos.  

O processo de repaginação dos supermercados tinha começado em 2016.  Em 2017, o investimento foi de R$ 55 milhões. Hipermercados BIG viraram Walmart. A mudança também chegou à bandeira Nacional, com lojas que passaram a se chamar Walmart Supermercados. Na ocasião do anúncio da estratégia, o Walmart disse que investiria R$ 1 bilhão no país em três anos. Durante a recessão, no entanto, a rede fechou mais de dez lojas no Rio Grande do Sul. 

 

Estrutura atual do Grupo BIG

 

Presente no país desde 1995, o Grupo Big, ex-Walmart Brasil, opera hoje com cerca de 550 unidades e 50 mil funcionários em 18 estados brasileiros, além do Distrito Federal. São sete bandeiras entre hipermercados (Big e Big Bompreço), supermercados (Super Bompreço e Nacional), atacado (Maxxi Atacado), clube de compras (Sam’s Club) e lojas de vizinhança (TodoDia), além de postos de combustíveis e farmácias. O Grupo é o terceiro maior conglomerado de varejo alimentar do Brasil. Em julho de 2018, a Advent International anunciou a aquisição de 80% da operação Walmart Brasil. O Walmart Inc. mantém uma participação de 20% na empresa.

 

Online

 

Em maio, o Walmart anunciou a interrupção do seu serviço de vendas online no Brasil. A companhia deixou de operar pelo e-commerce, que desde 2017 funcionava como marketplace, que é um canal de venda de mercadorias de outros varejistas. Em nota divulgada à imprensa na ocasião, a companhia afirmou que "será descontinuada a operação de marketplace, que hoje representa uma parcela mínima das vendas totais da companhia". Além disso, a marca manterá "seu foco no atacado, clube de compras e no varejo físico, segmentos em que o Walmart Brasil enxerga enorme potencial de crescimento".  

 

deixe seu comentário