Mundo

Estação Espacial Internacional: Saiba como acompanhar a passagem da ISS

Através de aplicativos disponíveis para Android e iOS, internautas podem acompanhar uma das quinze órbitas feitas pela Estação Espacial Internacional (EEI) diariamente
16/07/2020 - 10h:32min - Fonte: Olhar Digital, NASA

A Estação Espacial Internacional (EEI) (em inglêsInternational Space StationISS) é um laboratório espacial completamente concluído, cuja montagem em órbita começou em 1998 e terminou oficialmente em 8 de julho de 2011 na missão STS-135, com o ônibus espacial Atlantis.

A estação encontra-se em uma órbita baixa de 408 x 418 km, que possibilita ser vista da Terra a olho nu, e viaja a uma velocidade média de 27 700 km/h, completando 15,70 órbitas por dia.

Mas, para onde devo olhar para ver a estação? É fácil! Quem tem celular do sistema operacional Android precisa baixar o aplicativo ISS Detector e habilitar o GPS do aparelho. Daí, a própria ferramenta vai, a partir de uma bússola, orientar o usuário. No caso de Venda Nova, a aparição começa no oeste e termina no norte.

Quem tem dispositivos do sistema operacional iOS, como os iPhones, deve baixar o ISS Spotter, que também detecta a aparição da estação de acordo com a localização do usuário.

“A estação é observada como se fosse uma estrela, movendo com relativa rapidez. Há dias que fica muito bom para observar, mas há dias que não. O brilho da estação a olho nu depende da magnitude. Quando ela é menor que 1, tende a ser bastante brilhante e fica como o planeta Júpiter no céu”, explica o astrônomo e professor aposentado Bernardo Riedel.

Conseguiu fazer o registro? Compartilhe suas fotos pelo número (51) 99200-4902 e iremos publicar nas redes sociais do Clic! Mantenha o contato salvo para receber os destaques do Clic. Leia mais em https://bit.ly/3cEG0ww.

Saiba como a International Space Station funciona:

 

Registro do Rio Grande do Sul

Nesta segunda-feira (13), a Estação Espacial Internacional (International Space Station) publicou uma imagem incrível que mostra o Rio Grande do Sul, com destaques para as lagoas dos Patos, Mirim e Mangueira. 

Em fotografia feita por astronauta a bordo da Estação Espacial Internacional, a @Space_Station trouxe riqueza de detalhes da querida Laguna dos patos e do Litoral Gaúcho. A imagem veio acompanhada de um comunicado sobre caminhadas espaciais ocorridas no mesmo dia.

"O par final de caminhadas espaciais de troca de bateria começa na quinta-feira. Um exo-planeta e um microssatélite de reentrada na Terra foram implantados hoje, enquanto a equipe do Exp 63 conduzia pesquisas sobre ossos e coração. Leia mais em https://go.nasa.gov/3062Dp3"

Imagem

A ponta sul do Brasil (canto superior esquerdo), na fronteira com o Uruguai, foi retratada como a Estação Espacial Internacional orbitando na costa atlântica da América do Sul.

Dois astronautas da NASA estão de olho no par final de caminhadas espaciais para continuar atualizando os sistemas de energia na Estação Espacial Internacional . O laboratório em órbita também implantou um par de microssatélites hoje, enquanto o restante da equipe do Expedition 63 explorava como a falta de peso afeta o corpo humano.

O engenheiro de vôo Bob Behnken liderará as próximas duas caminhadas espaciais na instalação de novas baterias de íons de lítio (Li-Ion) na estrutura de treliças de estibordo da estação, a partir das 7h35 da manhã de quinta-feira, 16 de julho e terça-feira, 21 de julho. acompanhado pelo comandante Chris Cassidy nas duas caminhadas espaciais de seis horas e meia que finalizarão a troca de baterias antigas de níquel-hidrogênio por baterias de íon de lítio.

Os veteranos caminhantes espaciais passaram algumas horas hoje revisando seus procedimentos de caminhada espacial passo a passo em um computador. A eles se juntou o engenheiro de vôo Doug Hurley para uma conferência com especialistas em caminhada espacial no Controle de Missões. Hurley também começou a carregar as baterias que irão alimentar os trajes espaciais dos EUA durante a caminhada espacial de Behnken e Cassidy.

Hoje, um par de microssatélites foi implantado na órbita da Terra, fora do módulo de laboratório japonês Kibo . O Espelho Deformável CubeSat demonstrará o desempenho de um minúsculo, mas poderoso telescópio exoplaneta. O TechEdSat-10 CubeSat testará o retorno de pequenas cargas úteis com segurança na atmosfera da Terra.

No lado russo da estação, os dois cosmonautas se concentraram na biologia humana enquanto realizavam um teste de audição e estudavam como a dieta e o exercício podem combater os efeitos negativos da microgravidade.

O cosmonauta Ivan Vagner , em sua primeira missão espacial, documentou suas refeições e bebidas hoje para ajudar os médicos a aprender a combater a perda de massa óssea que ocorre durante os voos espaciais de longo prazo. Ele também se juntou a três residentes da estação, Anatoly Ivanishin, conectando sensores para monitorar seu sistema cardiovascular enquanto trabalhava em uma bicicleta ergométrica. A dupla terminou o dia usando fones de ouvido conectados a um computador que expôs os cosmonautas a uma variedade de frequências para um teste de audição.

 

Registro em Camaquã

International Space Station foi observada no céu de Camaquã, Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira, dia 10 de julho. O registro foi feito pela internauta Nely Vera Lauxe Reinke às 18h05min.

 

Cometa Neowise

No dia 5 de julho, os astronautas  (ISS, na sigla em inglês), observaram o brilhante cometa Neowise, que chegou a ofuscar outros corpos celestes semelhantes com sua cauda de luz intensa. 

"Logo antes da alvorada, o cometa se tornou visível durante aquele curto período de tempo em que ainda estava perto do Sol, mas o Sol ainda estava oculto para a Terra. [...] Foi uma cena incrível de ser vista", contou Bob Behnken, astronauta da Nasa enviado recentemente à ISS, ao podcast "The Daily" do jornal The New York Times. 

 

Neowise visto na Califórnia. Imagem: Wikipédia

O fenômeno foi registrado em centenas de fotos tiradas a partir da ISS, todas disponibilizadas para download nos arquivos oficias da Nasa. Com esse conteúdo em mãos, o artista gráfico Seán Doran criou um vídeo em 4K que mostra Neowise surgindo no horizonte e sendo ofuscado pela luz do Sol.

Para o vídeo, foram utilizadas 550 fotos de longa exposição, o que, no geral, resultaria em um conteúdo de apenas 18 segundos. No entanto, Doran intercalou as imagens e suavizou as transições para criar uma reprodução contínua de sete minutos. 

deixe seu comentário